Algumas palavras sobre o XV EJIP (I)/ A few words about XV EJIP (I)

IMG_0203EJIP?! Será que ela queria dizer Egipto (sim sim, com o antigo acordo ortográfico!)? Não. EJIP – Encontro de Jovens Investigadores em Paleontologia. Paleo-quê? Essas imagens não mostram grandes petiscos aprovados pela dieta paleo!!!! 😛 Grosso modo podemos resumir os Paleontólogos como um tipo de Geólogos ainda mais maluquinhos que estudam fósseis – caro leitor, tenho de admitir que me insiro neste grupo!!! E não, caro leitor, não, isto não se resume a dinossáurios – esses pobres são apenas uma ínfima parte de todos os organismos que outrora pisaram ou nadaram (ou voaram!) neste nosso planeta azul. Ora o EJIP é um congresso que reúne os mais Jovens Investigadores (ou não tão jovens) ibéricos (e não só!), onde durante 3 dias se partilham as mais recentes descobertas realizadas. Este congresso vai já na sua 15ª edição, sendo esta a 2ª realizada em território português. Foi com muito prazer (e uma certa dose de loucura) que aceitei fazer parte deste grandioso comité da organização… e claro, encarregar-me da parte gastronómica!

EJIP ?! Did she mean Egypt? Nop. EJIP are, in portuguese, the initials for “Meeting of Young Researchers in Paleontology”. Paleo-what? These pictures do not show great snacks approved by the paleo diet!!!! 😛 Rough way we can summarize a Paleontologist as a type of Geologists even more crazy, which study fossils – dear reader, I have to admit that I belong to this group!!! And no, dear reader, no, this is not just about dinosaurs – these poor are just a tiny part of all the organisms that once walked or swam (or flew!) on our blue planet. The EJIP is a congress that brings together the most young (and not so young) Iberian researchers (and not only Iberian!), where the most recent discoveries are shared. This congress is already in its 15th edition, this being the 2nd held in Portuguese territory. It was with great pleasure (and a certain amount of madness) that I accepted to be part of this great committee of the organization… and of course, take care of the gastronomic part!

IMG_0201

Os 2 do Romeu/ Romeu’s 2nd Birthday

IMG_2645

Não sei o que é ser tia, mas imagino que a sensação seja mais ou menos esta. Ouvir a mãe refilar sobre a energia sem fim destas pestes, as noites (ainda) mal dormidas, o facto das crianças estarem seeeempre doentes, fazerem asneiras, mas mesmo assim sorrir embevecidamente. Adorá-los, sem saber explicar o porquê. Recordar o dia em que a mais velha nasceu e jamais me perdoar pela ausência no dia em que o pequenito veio ao mundo. É saltar da cama às 8 e pouco da manhã cheia de energia para brincar com eles, mais a “tia” Cristiana, e deixar os pais na ronha. Este poderia ser um post ao nível da Ties, seismaisdois, Grace, Violeta cor-de-rosa, Caco mãe, mas nos próximos anos este blog será exclusivamente dedicado às artes culinárias 😛 (ser tia também é conhecer estes sites e tentar acompanhá-los ao dia, eh eh eh!).

I do not know what it is to be an aunt, but I imagine that the feeling is something like this. Listen the mother cranky about the endless energy of these childs, nights (yet) sleepless, the fact that children are alwaaaaaays sick, make blunders, but still smiling with so much love. Love them, not knowing explain why. Remember the day when the eldest was born and never forgive myself for the absence on the day tthat he little one came into the world. Jump out of my bed at 8am with lot’s of energy to play with them, with “aunt” Cristiana, and leave parents laziness. This could be a post at the level of Ties, seismaisdois, Grace, Violeta cor-de-rosa, Caco mãe, but in the coming years this blog is exclusively dedicated to the culinary arts 😛  (be an aunt is also knowing these sites and try to accompany them to day, eh eh eh!).

IMG_2847

O sunset da Inês/ Inês’ sunset

IMG_2082

A amizade é a força que faz mover o mundo. Não é o amor, não, porque também este precisa de uma amizade sólida por trás. São os amigos, a família que escolhemos, aquel@s que estão lá sempre, que nos apoiam no mather what, que nos incentivam a fazer loucuras, daquelas boas e saudáveis! [Neste momento sou obrigada a fazer um grande parênteses – falo muitas vezes dos meus amigos, mas também adoro a minha família, que é maravilhosa, grande e unida, uma força e apoio incondicional! Nem imaginam como fico de coração cheio cada vez que oiço alguém dizer que adorava ter uns pais como os meus! ❤ ].

Friendship is the force that moves the world. It is not love, no, because love also needs a solid friendship behind. Are the friends, the family we choose, those who are always there to support us no mather what, which encourage us to do crazy things, those good and healthy! [At this point I have to make a big parentheses – I often speak of my friends, but I also love my family, which is wonderful, great and united, strength and unconditional support! You cannot imagine how my heart feels every time I hear someone say that would loved to have parents like mine! ❤ ].

Este é um post sobre gratidão/ This is a post about gratitude

5

Escrevo este post uma semana mais tarde do que aquilo que previ. A vida deu mais uma volta, mas finalmente está a entrar nos eixos. Está a assentar. E muitas são as pessoas a quem tenho que agradecer todo o apoio dos últimos meses (e quiçá agradecer também à divina providência…).

I write this post a week later than what I predicted. Life took another twist, but finally is into place. And there are many the people to whom I have to thank all the support for the past few months (and perhaps also thanks to divine providence …).

6

A experiência em Estremoz não podia ter corrido melhor. Mas melhor ainda foi trabalhar com pessoas maravilhosas, algumas das quais amigas de longa data 🙂 Pessoas de coração gigante, generoso e compreensivo, quando anunciei a minha partida, pouco depois de chegar. A essas pessoas incríveis só posso deixar um agradecimento gigante e sincero! Obrigada pela oportunidade, pela experiência, pelo convívio, por tudo, tudo! E o meu obrigada às pessoas do lado de “cá”, que sempre me apoiam em tudo, incondicionalmente. É agora tempo de agarrar uma oportunidade única na vida. Altura de conhecer pessoas novas e lidar com desafios muito grandes. Uma semana depois de iniciar esta aventura, o balanço não podia ser mais positivo! Obrigada, do fundo do coração, a todos!

My experience in Estremoz couldn’t have gone better. But the best was working with wonderful people, some of them longtime friends 🙂 People with giant, generous and understandings’ hearts, when I announced my departure, shortly after arriving. To these amazing people I can only leave a huge and sincere thank you! Thanks for the opportunity, the experience, the living together, thank you for everything! And my acknowledgment to the people on the “other side”, who always support me, unconditionally. It is now time to grab a unique opportunity in life. Time to meet new people and handle with huge challenges. A week after starting this adventure, the balance could not be more positive! Thank you, from the bottom of my heart, to all of you!

4

Esta receita é da minha total responsabilidade, eh eh eh! Mas peço-vos ajuda para a melhorar! Sim, adivinhem quem são os ingredientes estrela??? Amêndoas e figos!!! Ora bem, na minha primeira semana de trabalho, pela Costa Vicentina (Biologia & Geologia no Verão), uma das nossas perdições (para além do Pão do Rogil) é o “bolo 3 delícias” do Algarve. Após uma breve pesquisa pela web, não descobri nenhuma receita que me satisfizesse… Além disso queria as 3 camadinhas separadas… Diz-me a Sofia: inventa! Pois bem, cá fica**!

CAMADA DE AMÊNDOAS: bater muito bem 50g de manteiga, 2 ovos e 1 chávena de açúcar; misturar 1 1/2 cháv. de farinha de amêndoa, 1/2 chav. de farinha de trigo (opcional) e 1 chávena de amêndoas partidas. Levar ao forno (175ºC) cerca de 10 min. Deixar arrefecer completamente.

CAMADA DE ALFARROBA: bater muito bem 50g de manteiga, 2 ovos e 1 chávena de açúcar; misturar 1 cháv. de farinha de trigo, 1/2 chav. de farinha de amêndoas e 5 c.sopa de farinha de alfarroba. Levar ao forno (175ºC) cerca de 10 min. Deixar arrefecer completamente.

CAMADA DE FIGOS: bater muito bem 40g de manteiga e 1 chávena de açúcar; misturar ~1/2kg de figos triturados com a varinha mágica e 1 cháv. de farinha de trigo. Levar ao forno (175ºC) cerca de 15 min. Deixar arrefecer completamente (eu usei figos frescos, porque me foram oferecidos, mas creio que as receitas originais usam figos secos; no caso de optarem pelos secos, deixem-nos de molho um par de horas antes e reduzam a quantidade de açúcar, ou completamente).

Quando estiver completamente frio, polvilhem com cacau amargo, amêndoas laminadas e sirvam!

2

This recipe is my entire responsibility, eh eh eh! But I ask you help to improve it! Yeah, guess who are the star ingredients??? Almonds and figs!!! Well, in my first week of work, at Costa Vicentina (Biology & Geology in summer), one of our perditions (apart from Pão do Rogil) is the “cake three delights” of Algarve. After a brief search the web, I wasn’t satisfied with any recipe that I found… Besides, I wanted the 3 separate layers… So, Sofia told me: invent! Well, here it is**!

ALMOND LAYER: mix very well 50g butter, 2 eggs and 1 cup sugar; mix 1 1/2 cups of almond flour, 1/2 cup of wheat flour (optional) and 1 cup of almonds. Put in the oven (175°C) for about 10 min. Let it cool completely.

CAROB LAYER: mix very well 50g butter, 2 eggs and 1 cup sugar; mix 1 cup of wheat, 1/2 cup of almond flour and 5 tsp of carob flour. Put in the oven (175°C) for about 10 min. Let it cool completely.

FIGS LAYER: mix very well 40g butter, and 1 cup sugar; mix 1/2kg of puree of fresh figs and 1 cup of wheat flour. Put in the oven (175°C) for about 15 min. Let it cool completely. (I used fresh figs, because a friend offered me, but I think the original recipe use dried figs; if you decide to use the dry ones, let them rest covered with water for a couple of hours before and reduce the amount of sugar, or completely).

When completely cold, sprinkle with bitter cocoa, flaked almonds and serve!

1

**O bolo da fotografia corresponde a meia receita!!/ The cake on the photo is only half of the recipe!

Mas quem é que gosta de Dinos??/ But who likes Dinos??

7

Sou uma Geóloga a especializar-me em Paleontologia (vou ignorar todos aqueles que semicerraram os olhos e pensaram “Paleo-quê?”). Mas perdoo-vos. Até ao 7º ano também não fazia ideia que raio era isto. Mas no 7º ano conheci o Professor Carlos Ribeiro (não aquele em quem os Geólogos portugueses pensaram imediatamente – se fosse esse, neste momento a Sofia estaria casada com o Nery Delgado). E o Professor Carlos Ribeiro é um professor-geólogo, não um professor-biólogo. Se me deixarem, vou culpar os professores-biólogos pelo pouco carinho que os alunos adquirem pela Geologia. Até ao 7º ano eu, menina aplicada-de-óculos-na-primeira-carteira-da-sala-de-aula queria ser Professora. A partir do 7º ano, decidi que ia ser Geóloga. No secundário, conheci a Rocha-Mãe. Que mais poderei acrescentar quando uma professora-geóloga se apresenta aos alunos desta forma? Apenas que não me lembro dela sem um sorriso. Que não me lembro de uma aula em que não nos tenhamos divertido e aprendido. Pelo meio conheci aquela que para mim é a maior Paleontóloga de Portugal (sei que vais escrever alguma coisa nos comentários, visto seres o único ser vivo à face da terra que lê isto – para ti: cala-te!). No curso de Geologia conheci muitas pessoas, todas muito diferentes. Alunos, professores, investigadores. Ganhei amigos e inimigos – para a vida. No 3º ano (sim, ainda é um curso que vai sobrevivendo aos horrores de Bolonha e mantém 4 anos!) começam as dúvidas… as desilusões… a desmotivação. O Erasmus não resolveu estes problemas na totalidade, mas sem ele este blogue (que apenas tem uma leitora, cof cof) não existiria. E assim chegamos a estes bolos… e ao mestrado de Paleontologia Avançada, em Madrid. Neste mestrado somos tão-só 14 alunos. 2 deles têm idade para ser meus avós e  atitude para serem meus irmãos. Dos restantes, 5 são biólogos e os demais geólogos. Uma é portuguesa, uma vem de Bilbao, uma de Granada, outra de Salamanca, outra de Cuenca, um de Alicante, um de Ciudad Real, um de Cercedilla e os demais são de Madrid. Ao contrário do que possam pensar, estamos juntos um dia por semana: à quinta-feira. Somos cada vez mais ultra super mega especializados em algo e o mestrado reflexa um pouco isso. Existem 2 ramos, o de Vertebrados e Ecossistemas Terrestres e o de Invertebrados e Ecossistemas Marinhos, de longe o melhor. Como a maioria discorda comigo, a maioria das aulas que tenho limitam-se a 5 pessoas numa sala de aula – sendo a 5ª a professora! Assim sendo, imaginem o único dia da semana em que temos aulas todos juntos (este semestre apenas temos uma disciplina comum aos dois ramos: Património), 4h seguidas durante a tarde (tempo para imaginarem…………………). Com isto tudo queria apenas dizer que serei a pior Paleontóloga de todos os tempos. Nunca gostei de dinossáurios, nem em criança. Ainda não lhes acho piada (desculpa, Pedro!). Nunca vi o 3º filme do Jurassic Park, e até há pouco mais de um ano nunca tinha visto nenhum deles. Mas as quintas-feiras merecem estes bolos – não acham?

P.S. Oferece-se recompensa muito boa em troca de cortador de bolachas em forma de Trilobite – anatomicamente real!

P.S. 2 Aproveitem e conheçam estes meninos (e meninas) e o seu magnífico trabalho 😀 (de nada, Pedro!)

Nem só de pão vive o Homem V: Saragoça/ Zaragoza

6

Janeiro terminou com uma visita a Saragoça, um misto de pausa entre exames, ida a campo e vontade de conhecer uma cidade nova 🙂 A chuva e o frio foram constantes, mas nem por isso o fim-de-semana menos bom! Obrigada a quem me acolheu!! Deixo-vos com um cheirinho da cidade… e arredores.

January ended with a visit to Zaragoza, a mix of break between exams, going to the field and desire to know a new city 🙂 The rain and the cold were constant, but not a less good weekend! Thank you to those who welcomed me!! I leave you with a taste of the city … and beyond.

2015

output_XVC6Gv

A um ano novo cheio de sonhos doces e saudáveis.

À família, porto de abrigo, que mesmo longe estão sempre perto.

Aos amigos, a família que escolhemos. Aos amigos de sempre, aos amigos que podemos chatear 24h por dia, aos amigos que nos ensinam, aos amigos verdadeiros, aos amigos que nos sabem ler com um olhar. E aos amigos que a vida ainda nos trará.

A todas as receitas novas, inventadas, re-inventadas, escritas e por escrever, que nos aliciam, nos desafiam e nos saciam.

Às dietas e ao exercício, ao equilíbrio tantas vezes difícil de encontrar!

Às viagens, reais e sonhadas, planeadas e inesperadas, solitárias e acompanhadas, ao desconhecido e aos locais onde sabemos que somos felizes.

Aos cistóides e ao Ordovícico (e às trilobites e até aos braquiópodes, sempre presentes, em termos fossilíferos e pessoais), que nos entendamos bem e sejamos amigos!!!!

À felicidade. Ao amor. À saúde. Ao dinheiro. E a todas as coisas boas da vida.

A vocês, por me seguirem e estarem sempre desse lado a ler, seja lá “esse lado” onde for. Que 2015 seja um bom ano, para todos, em todos os aspectos.

E obrigada. A cada um/a de vós. Por tudo, bom e menos bom. Crescemos e aprendemos todos os dias, e nada disso seria possível sozinhos no mundo ❤

{DIY} Mini terrários de gengibre & côco/ {DIY} Ginger and coconut mini terrariums

corrigida2

Quando for grande, quero ter tanto jeito para cozinhar e fotografar como esta menina!!! Claro que a inspiração veio daqui, mas o meu resultado não chega nem aos calcanhares da Molly!!!!

When is grow up, I wanna have such a talent for cooking and shoot like this girl!!! Of course, the inspiration came from here, but my result does not reach the heels of Molly!!!!

Gingerbread + Giveaway

bolo5

Já há muito que queria testar um gingerbread. Para mim, uma das coisas que imediatamente associo ao Natal são especiarias, nomeadamente canela, gengibre, anis, cravinho, cardamomo, hmmm!

For a long time wanted to try to make a gingerbread. For me, one of the things that I immediately associate to Christmas are spices, including cinnamon, ginger, anise, cloves, cardamom, hmmm!

Gemas… é Natal!/ Yolks… It’s Christmas!

81Temos que entrar no clima: por favor carreguem aqui, aumentem o volume, e deixem o espírito de Natal entrar em vossas casas pela maravilhosa voz do Frank Sinatra!!! Ahh, agora sim, podemos começar! É Natal!

We have to get in the mood: please click here, increase the volume, and let the Christmas spirit come into your houses by the wonderful voice of Frank Sinatra!!! Ahh, now we can start! It’s Christmas!