Algumas palavras sobre o XV EJIP (I)/ A few words about XV EJIP (I)

IMG_0203EJIP?! Será que ela queria dizer Egipto (sim sim, com o antigo acordo ortográfico!)? Não. EJIP – Encontro de Jovens Investigadores em Paleontologia. Paleo-quê? Essas imagens não mostram grandes petiscos aprovados pela dieta paleo!!!! 😛 Grosso modo podemos resumir os Paleontólogos como um tipo de Geólogos ainda mais maluquinhos que estudam fósseis – caro leitor, tenho de admitir que me insiro neste grupo!!! E não, caro leitor, não, isto não se resume a dinossáurios – esses pobres são apenas uma ínfima parte de todos os organismos que outrora pisaram ou nadaram (ou voaram!) neste nosso planeta azul. Ora o EJIP é um congresso que reúne os mais Jovens Investigadores (ou não tão jovens) ibéricos (e não só!), onde durante 3 dias se partilham as mais recentes descobertas realizadas. Este congresso vai já na sua 15ª edição, sendo esta a 2ª realizada em território português. Foi com muito prazer (e uma certa dose de loucura) que aceitei fazer parte deste grandioso comité da organização… e claro, encarregar-me da parte gastronómica! 

Anúncios

Um babyshower inspirado em balões de ar quente/ Hot air balloon themed babyshower

1

Em Dezembro, no aniversário da Violeta, a Patrícia (amiga da Sofia) falou-me por alto na possibilidade de vir a organizar um babyshower em Janeiro. Et voilà! Todo o processo foi muito dinâmico, fluido, com troca de ideias e acima de tudo uma grande confiança em mim (e nos tachos, salvo seja!). Não sabia ao certo qual seria o resultado final, mas tinha uma certeza: os balões de ar quente seriam o fio condutor da festa! E meti na cabeça que iria improvisar um balão de ar quente; que queria um balão de ar quente ao lado da mesa!!!! Todo o processo foi um tremendo desafio, com todas as ideias a falhar… Até que o meu pai pegou em trapilho e começou a fazer macramé. Vai daí, o resultado está à vista 🙂 Que este seja o início de uma maravilhosa aventura para o Afonso e família. Que seja uma aventura que os leve a explorar o mundo, com todo o amor, carinho e alegria! 

Os 5 da Violeta/ Violeta’s 5th Birthday

picture1

Já sabem o quanto adoro esta miúda! Há um ano atrás foi assim a festinha, lembram-se? 🙂 Este ano foi tudo um pouco-mais-a-correr, e como tal, uma mesa mais simples. A casa encheu-se de crianças (Nove!!!!!, exclamou a Sofia, NOVE!!!), a correr, a saltar, a gritar, cheias de energia, perdão, alegria, alegria! Adoro crianças, adoro o som de crianças a gargalhar, não há nada mais puro e inocente!

You already know how much I love this girl! A year ago this was her party, do you remember? 🙂 This year we didn’t have much time to prepare it, and as such, I prepared a simpler table. The house was filled with children (Nine!!!!!, Sofia exclaimed, NINE [children]!!!), running, jumping, screaming, full of energy, I mean, joy, joy! I love children, I love the sound of children laughing, there is nothing more pure and innocent!

Coffeebreak VI CJIG, Estremoz

montagem-1

É sempre para mim um prazer voltar a Estremoz (podem reler aqui um post dedicado ao tema). Sinto-me em casa. Rever velhos e novos amigos, colegas, e claro, explorar o mercado de sábado 😛 Desta feita, o motivo da minha visita foi o VI Congresso de Jovens Investigadores em Geociências, onde tive o enorme orgulho de, pelo 2º ano consecutivo, ficar responsável pelos coffeebreaks (o único registo do ano anterior aqui)!

It is always a pleasure for me to come back to Estremoz ( you can read here a post dedicated to the theme). I feel at home. Reviewing old and new friends, colleagues, and of course, exploring the Saturday’s market 😛 This time, the reason for my visit was the VI Congress of Young Researchers in Geosciences, where I was very proud to be responsible, for the 2nd consecutive year, for the coffeebreaks (the only photo from last year here)!

Água/ Water

img_0999

Começo este post com uma reflexão: já imaginaram a vossa vida sem água? Não me refiro às necessidades básicas de qualquer ser vivo, mas imaginam a vossa vida sem água a sair da torneira? Este bem tão precioso, que é tão banal nas nossas vidas, ao qual raramente damos o devido valor? Pois é. Às vezes é preciso parar um bocadinho para pensar. Pensar que os nossos avós e até talvez mesmo os nossos pais não tenham nascido nem crescido com este gesto enraizado, o de abrir a torneira e voilà: água corrente. Nos acampamentos de Escuteiros aprendemos a gerir a água. Se a queremos, temos de a ir buscar ao ponto de água mais próximo e “alapar” monte cima (ok, pode ser terreno a direito) com os jerricans (seja de 5, 10, 20 ou 30L, como tantas vezes carreguei!). Aprendemos o quanto custa carregar esta água (ainda falam no peso do ouro…), e como tal, aprendemos a geri-la e a poupá-la ao máximo. O problema é que muitas vezes esta consciência “voa” assim que pomos o pé dentro de casa e corremos para a banheira…

I’ll begin this post with a reflection: have you ever imagined your life without water? I’m not referring to the basic needs of any living being, but do you imagine your life without water coming out of the tap? This precious water, which is so banal in our lives, to which we seldom give due value? Yeah. Sometimes you have to stop a little to think. To think that our grandparents and perhaps even our parents were not born or grown up with this gesture rooted, that of opening the tap and voilà: running water. In the Scouts’ camps we learned to manage the water. If we want it, we have to go to the nearest water point and carry it up the hill (ok, it can be straight on) with the jerricans (no matter if it is 5, 10, 20 or 30L, as I have so often carried!). We learn how much it costs to carry this water (they still speak of the weight of gold …), and as such we learn to manage it and spare it to the fullest. The problem is that usually this awareness “flies” as soon as we put our foot at home and run to the bath…

Torcidinhos de abóbora | Pumpink Twisted

img_0743

Eu sei. Eu sei. Por Lisboa continuam 30ºC, e faltam 2 dias para Novembro… Como é que isto é possível?! Eu, amante do inverno, do frio e da chuva, estou oficialmente em mood Outono-Inverno, com o forno ligado, batatinhas doces a assar, castanhas, abóbora, romãs, oh, as romãs, como as adoro! Numa das nossas últimas viagens ao Alentejo trouxemos uma abóbora da horta, e o meu desejo para fazer uns cinnamon buns transformou-se nestes torcidinhos, ao ver esta história (já conhecem esta aplicação? Para mim, está a tornar-se tão viciante quanto o Instagram :P).

I know. I know. We still have 30ºC in Lisbon, just 2 days ahead to november… How is this possible?! I am a winter lover, all the cold and rain… Well, I’m officially in autumn-winter mood, with the oven on,  roasted sweet potatoes, chestnuts, pumpkins, pomegranates, oh, pomegranates, I love them! In one of our last trips to Alentejo, I brought a pumpkin from the garden, and my wish to bake some cinnamon buns became pumpkin knots, when I saw this story (do you already know this app? For me, it is becoming as addictive as Instagram :P).

Birthday Brunch

img_4341

Quando convences uma das tuas melhores amigas a vir passar o seu aniversário a Portugal, nem o São Pedro te estraga o pic-nic 😛 Como se sabe, mulher prevenida vale por duas – e reajustámos o pic-nic dentro de casa! Nem por isso menos bonito, modéstia à parte 😛

When you convence one of your best friends to come spend her birthday in Portugal, not even the rain spoils the picnic 😛 No problem at all, we made the picnic indoors! No less beautiful, modesty aside 😛

Bem-vinda Inês!/ Welcome Inês!

IMG_2759-2

[PT] Se há coisa que me deixa de coração amolecido são pessoas que me abrem a porta de casa e dizem “mi casa es tu casa” – principalmente quando acrescentam a seguir “a cozinha é toda tua!”. Assim começou o babyshower da Inês – ou deverei dizer da Sandra, a futura mamã!

[EN] If there’s one thing that makes my heart softened is people who open their houses and say “mi casa es tu casa” – especially when added “the kitchen is all yours.” Thus began Inês’ babyshower – or should I say Sandra’s, the future mom!

Around the Table Workshop

IMG_3633

A primeira semana de Maio foi inesquecível. É certo que já lá vai mais de um mês, mas não me canso de olhar para estas fotografias e desejar voltar! Quando vi no Instagram da Marta e da Sanda a o anúncio do workshop, pensei: “Tenho que ir!!! Ainda por cima é na semana do meu aniversário!!!”. E assim foi! Tive a oportunidade de conhecer 9 mulheres incríveis (para além das 3 por trás da organização, bem como o Filipe), aprender imensas técnicas de fotografia e edição, comer pratos deliciosos e estar num local lindo! Confesso que a história de cada uma delas me tocou particularmente, pois nenhuma começou a sua vida nesta área, mas por diversos motivos são agora felizes e bem sucedidas por trás da câmara! Espreitem o trabalho de cada uma delas, vale bem a pena: Sini, Jonna, AnnaMarina, Lisa, Simone, Pilar, Giulia e a minha colega de quarto (que fez anos no dia antes de mim, eh eh!) Mina.

E porque uma imagem vale mais que mil palavras, aqui fica um cheirinho desta semana incrível!

The first week of May was unforgettable. It has already passed more than a month, but I do not get tired of looking at these photos and wishing to return! When I saw on the Instagram of Marta and Sanda the announcement of the workshop, I thought, “I have to go!!! Besides, it is on the week of my birthday!!!”. And so it was! I had the opportunity to meet 9 amazing women (in addition to the 3 behind the organization, as well as Filipe), learn a lot about photography techniques and editing, eat delicious dishes and to be in such a beautiful place! I confess that the story of each one of the girls touched me particularly, because no one began her life in this area, but for various reasons they are now happy and successful behind the camera! Take a look at the work of each one of them, it will worth it: Sini, Jonna, Anna, Marina, Lisa, Simone, Pilar, Giulia and my roomy (which birthday is the day before mine, eh eh!) Mina.

And because a picture worths more than a thousand words, here is a taste of this amazing week!

IMG_3448

A Erica vai dar o Nó!/ Erica’s Bachelorette

DSErica (27)

Quando a Sofia me liga em horário laboral, é porque é deveras importante. Mas nunca pensei que fosse para me propôr a organização de uma despedida de solteira!! Senti-me feliz, muito feliz, mas nervosa, hiper nervosa! Que responsabilidade! Ao mesmo tempo abracei de imediato o desafio. “Fala com a Filipa, ela é que está a organizar o dia todo, eu só me lembrei de ti para organizares a parte do almoço”. Encontrei-me com a Filipa um par de dias mais tarde; em 4 frases tinha todas as recomendações: 1) a noiva [ok, é de facto uma grande ajuda conhecê-la] gosta de cor-de-rosa (YES!); 2) a noiva não gosta de cogumelos, mas adora queijo de cabra; 3) há uma grávida; 4) há uma vegetariana. Dormi sobre o assunto e, voilá – 45min, 1 folha e 1 caneta – nasceu o esboço deste dia mágico!

When Sofia calls me during working hours, it means it is extremely important. But I never thought she would proposed me to organize a bachelorette party!! I was happy, very happy, but nervous, hyper nervous! What a responsibility! At the same time, I immediately embraced the challenge. “Have a talk with Filipa, she is planning all day, I just remembered you to do the lunch.” I was with Filipa a couple of days later; in 4 sentences I had all the recommendations: 1) the bride [ok, it is indeed a great help to know her] likes pink (YES!); 2) the bride does not like mushrooms, but she loves goat cheese; 3) there is a pregnant one; 4) there is a vegetarian. I slept on it and voilà – 45min, 1 sheet and 1 pen – the draft of this magical day was born!

DSErica (26)

colagem1